Valdecir Miester e Pedro Arildo Ruiz não são ouvidos da CPI da Covid desta terça-feira

Investigações do Gaego e do Ministério Público apontam que ambos estariam envolvidos diretamente no esquema de desvios de recursos oriundos do Fundo Municipal de Saúde, deflagrados pela Operação Metástase.  

Por Programa do Tatu

15 de setembro de 2021, 10h34

A principal pauta da reunião ordinária da CPI da Covid desta terça-feira (14) era a tomada de depoimentos de Valdecir Miester e Pedro Arildo Ruis, os quais se encontram detidos por conta de apontamento de investigações do Gaego e do Ministério Público, conforme o qual ambos estariam envolvidos diretamente no esquema de desvios de recursos oriundos do Fundo Municipal de Saúde, deflagrados pela Operação Metástase.  

Ocorre que a participação de ambos, por meio de videoconferência, não pôde ser realizada, uma vez que a liberação do Ministério Público para que Miester e Ruiz falassem à CPI na condição de testemunhas, ocorreu somente ao final da tarde de segunda-feira (13). Desta forma, não houve tempo hábil no sentido de serem definidos os trâmites junto às instituições as quais eles se encontram recolhidos, para que fossem agendadas as videoconferências. Valdecir Mister está no Centro de Internamento e Readequação de Brasília e Pedro Arildo Ruiz no Complexo Médico Penal de Piraquara.  

Sem as oitivas, os parlamentares deram continuidade aos trabalhos. Dentre as deliberações, requerimento apresentado pelo relator dos trabalhos, vereador Mateus Barreto, o qual solicitará, por meio de ofício, que a Secretaria Municipal de Saúde encaminhem informações relativas a período em que o empresário Ediel de Moraes Pinheiro, sócio proprietário da Cirúrgica Paraná, teria sido positivado para Covid 19. 

Segundo preliminares da investigação do MP, Ediel teria sido contemplado com dose da vacina contra a doença antes do período permitido para sua imunização, situação que ele afirmou não ter ocorrido. O empresário também disse não ter tomado à vacina no período em que sua faixa etária poderia se vacinar pelo fato de ter sido diagnosticado com a doença na mesma época .  

A presidente da CPI, vereadora Ana Novais, requereu que fosse encaminhada cópia de vídeo do depoimento da Dr. Daniela Azevedo ao Ministério Público. A médica que falou aos membros da comissão no último dia 31 de agosto. A vereadora também solicitou o encaminhamento ao Ministério Público de vídeos produzidos pelo vereador Sorrisal em visitas aos locais de atendimento ao Covid 19 no município. 

Outro requerimento apresentado por Ana Novais é relativo à solicitação do contrato de doação do terreno ao Norospar, bem como prazo de construção do hospital, assim como se foi destinado algum recurso, na esfera estadual ou federal, para a construção do hospital infantil. 

Submetidos em votação os requerimentos, eles foram aprovados pelos demais membros: vereador Ednei do Esporte, vice-presidente da CPI, Cris das Frutas e Sorrisal – membros da comissão.  

PRÓXIMA OITIVA 

Ainda na reunião desta terça-feira, ficaram definidas as oitivas para o próximo dia 20, quando serão ouvidos: Eduardo, Mariana e Nara, da empresa MGM Saúde, a qual foi contratada pelo município para prestação de serviços médicos, em atendimento à demanda do Ambulatório de Síndromes Gripais da Secretaria Municipal de Saúde de Umuarama. E empresa é investigada pelo Ministério Público. 

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA 

Para a próxima terça-feira também está agendada uma reunião extraordinária da CPI, a qual ocorrerá a partir das 14:00, ocasião em que, enfim, devem ser ouvidos Valdecir Miester, que horário agendado para das 14 às 15h30 e Pedro Arildo Ruiz na sequência.