Procon orienta consumidor para não ter dor de cabeça na ‘black friday’

É prudente que o consumidor monitore o preço do produto que pretende adquirir na black friday para evitar falsas promoções, a famosa ‘metade do dobro

Por Programa do Tatu

21 de novembro de 2020, 10h47

Como no restante do país, Umuarama terá na próxima sexta-feira, 27, a famosa promoção ‘black friday’, quando grandes redes de lojas oferecem uma vasta linha de produtos com grandes descontos e condições especiais aos consumidores. Diante disso, o Procon Umuarama divulga algumas orientações para que o umuaramense evite dores de cabeça ao realizar sua compra.

De acordo com o secretário municipal de Proteção e Defesa do Consumidor, João Paulo Souza Oliveira, a primeira dica é pesquisa de preço. “É prudente que o consumidor monitore o preço do produto que pretende adquirir na black friday para evitar falsas promoções, a famosa ‘metade do dobro’. Para isso, sites ‘buscadores’ (como Buscapé, Zoom, Baixou, entre outros) continuam sendo uma forma eficiente para verificar o de preço real de cada produto”, orienta. Veja as outras dicas do Procon-Umuarama.

Cuidado com golpes

O consumidor deve desconfiar de descontos exagerados que fogem ao senso comum, procurando constatar a idoneidade da plataforma digital antes de qualquer compra. O Procon-SP disponibiliza uma lista de sites a serem evitados, uma importante ferramenta a ser utilizada. Consulte em https://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php Se a compra for por boleto, confira os dados da empresa fornecedora antes de efetuar o pagamento.

Evite clicar em links de promoções enviados por e-mail e aplicativo de conversa. Desconfie de promoções com curto prazo de duração (válidas somente por algumas horas), pois podem ser uma tentativa de golpe. Antes de prosseguir com qualquer compra online, o consumidor deve conferir no site oficial da empresa se a oferta realmente existe.

Veja a reputação da empresa

Antes de fechar a compra, pesquisar a reputação da empresa na internet é uma boa pedida e pode evitar dores de cabeça. Sites como o www.reclameaqui.com.br possuem um vasto registro que revela quais são os tipos de problemas mais comuns causados pela empresa.

Produto escolhido – consumidor precavido

Definido o produto e qual empresa comprar, é importante que o consumidor guarde o máximo de informações sobre a operação, como por exemplo: oferta, fechamento do pedido e comprovante de pagamento. Tais documentos facilitam o procedimento na hora de registrar uma reclamação perante o Procon, em caso de infração ao Código de Defesa do Consumidor.

Feita a compra, conheça seus direitos

O consumidor tem 30 dias para reclamar de vícios constatados em bens não duráveis e de 90 dias em bens duráveis, ou seja: a garantia legal! Fique esperto: alguns produtos possuem uma garantia maior, denominada garantia contratual.

Se o produto adquirido apresentar algum vício, o fornecedor terá 30 dias para realizar o respectivo reparo. Não sendo possível reparo no prazo legal, o consumidor pode requerer a substituição do produto, restituição do valor pago ou o abatimento proporcional do preço.

Por fim, para operações realizadas pela internet o consumidor poderá desistir da compra, mesmo injustificadamente, dentro de um prazo de 7 dias, sem qualquer penalidade.

Caso tenha dúvidas ou necessite de maiores informações, o consumidor pode entrar em contato com o Procon pelo telefone (44) 3621-5600. Boas compras!