Procon divulga preços de combustíveis, cesta básica e gás de cozinha para agosto

Os valores foram pesquisados nesta semana, entre os dias 3 e 6, e revelam oscilação negativa na maioria dos produtos.

Por Programa do Tatu

6 de agosto de 2020, 17h36

Após levantamento realizado no comércio, nos últimos dias, o Procon de Umuarama divulgou nesta quinta-feira, 6, as tabelas de acompanhamento da variação de preços dos combustíveis, gás de cozinha e produtos que compõem a cesta básica (marcas populares e líderes de mercado). Os valores foram pesquisados nesta semana, entre os dias 3 e 6, e revelam oscilação negativa na maioria dos produtos.

O gás de cozinha teve redução de 1,62% na média, em comparação com o mês anterior, com preços variando entre R$ 75,00 e R$ 85,00 o botijão de 13 quilos. Entre os combustíveis, o etanol teve redução média de 0,7%, enquanto a gasolina comum subiu 3,1% em média, a aditivada aumentou 2,3%, o diesel comum tele elevação de 5,1% (maior alta registrada) e o diesel S10 subiu 4%. As tabelas apresentam os preços praticados em todos os estabelecimentos do setor, nos dias da pesquisa.

Já entre os produtos da cesta básica, que inclui itens de alimentação, higiene pessoal e limpeza, houve redução de 2% entre as marcas populares (mais baratas) e um pequeno aumento de 1,06% nas marcas líderes de mercado. Houve altas significativas em produtos como óleo de soja e leite integral (11%), linguiça fresca (15%), frango resfriado ou congelado inteiro (16%), café em pó (17%) e a banana (32%), e tiveram quedas expressivas a batata (-31%), o alho (-20%) e a cebola (-17%).

Além de apontar a variação média nos valores, a pesquisa informa o consumidor sobre o preço de cada produto em diferentes estabelecimentos, ajudando a identificar eventuais preços abusivos e locais que praticam os melhores preços. “Além da economia, neste momento é importante saber o custo dos produtos antes de ir ao supermercado, ou abastecer o veículo, para reduzir o tempo de permanência dentro dos estabelecimentos e evitar o contágio do coronavírus”, acrescentou o secretário municipal de Proteção e Defesa do Consumidor, João Paulo Souza Oliveira.