Liraa aponta controle sobre infestação de mosquito, mas população não pode relaxar

Nas regiões de cinco unidades básicas de saúde foram encontradas larvas, porém nas outras 13 UBS o percentual foi zero.

Por Programa do Tatu

7 de agosto de 2020, 18h48

O Índice de Infestação Predial (IIP) apurado no quarto Levantamento de Índice Rápido para Infestação de Aedes aegypti (Liraa) deste ano, realizado entre os dias 3 a 5 de agosto, mostra o resultado positivo das ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, zica vírus e febre chikungunya em Umuarama. Nas regiões de cinco unidades básicas de saúde foram encontradas larvas, porém nas outras 13 UBS o percentual foi zero.

Com isso, Umuarama tem hoje um IIP de 0,2%, um dos menores índices da história – bem abaixo do limite de 1% considerado aceitável pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Os números foram divulgados nesta sexta-feira, 7, pela Vigilância Ambiental da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa). Apenas nos imóveis pertencentes às unidades de saúde do Sonho Meu (1,6%), San Remo (1,3%), Posto de Saúde Central (0,9%), Jardim Panorama (0,7%) e Guarani/ Anchieta (0,6%) havia infestação.

“Mesmo onde encontramos larvas do mosquito da dengue, os números foram baixos – apenas no Sonho Meu e no San Remo o IIP superou o limite de 1% – graças ao ótimo trabalho que vem sendo feito pelos agentes de combate a endemias e também por servidores comissionados, que têm percorrido todos os bairros da cidade limpando canteiros, praças e terrenos baldios”, avaliou a secretária municipal da Saúde, Cecília Cividini.

Porém, embora a situação aparente certo conforto, a secretária alerta que a população não pode relaxar nos cuidados. “Logo as temperaturas voltarão a subir e a umidade aumentará, por isso não podemos deixar recipientes que possam acumular água em nossas casas, quintais e estabelecimentos comerciais. Se conseguirmos controlar a infestação, vamos baixar a significativamente a incidência de dengue na população e evitar a triste epidemia que tivemos de enfrentar nos últimos 12 meses”, orientou a secretária.

Nas 61 localidades (bairros) em que a cidade é dividida para realização do Liraa, apenas em cinco houve registro do mosquito – o Conjunto Habitacional Sonho Meu, onde havia larvas em 3,6% dos imóveis visitados; Igreja Catedral (3,4%); Jardim Petrópolis (3,2%); Escola Municipal Paulo Freire e Jardim Panorama (3%). Nas outras 56 localidades não foram encontrados sinais de infestação.

Desde a última semana, com o início do novo ano epidemiológico, a Secretaria Municipal de Saúde passou a emitir boletins semanais de acompanhamento dos casos de dengue em Umuarama. No primeiro informe foram três casos positivos. Nesta sexta-feira, 7, as notificações aumentaram para 19 e os pacientes com dengue agora são seis.

“Se cada um cuidar bem do seu quintal e observar a vizinhança vamos manter a situação sob controle, mas não podemos nem pensar em relaxar. O sucesso no combate à dengue depende do envolvimento de todos, poder público e população”, completou Cecília Cividini.