Ratinho Júnior ativa mais 10 leitos de UTI para tratar Covid-19 em Umuarama

Eles serão utilizados com exclusividade para tratamento dos casos mais graves de Covid-19 neste momento e depois incorporados à estrutura do hospital. Os leitos serão disponibilizados já nesta terça-feira (14) para a comunidade

Por Programa do Tatu

13 de julho de 2020, 14h54

O prefeito Celso Pozzobom recebeu o governador Ratinho Júnior, os secretários de Estado da Saúde, Beto Preto, do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, e da Casa Civil, Guto Silva, e o deputado estadual Soldado Adriano José para autorizar mais 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Umuarama, através do Hospital Cemil. A comitiva também visitou a Plusval, que assumiu o antigo abatedouro de frangos da Averama e entrou em funcionamento na última semana, gerando mais de 700 empregos diretos.

Com os novos leitos, o Estado dobrou oferta de leitos para internamento de pacientes com suspeita ou positivos para Covid-19 nos 21 municípios da 12ª Regional de Saúde, que tem sede em Umuarama, num momento em que a taxa de ocupação de UTIs atingiu 90%. “Até agora atendemos todos os pacientes da cidade e região com 10 leitos na Uopeccan e nesta segunda-feira chegamos a ter 9 pessoas internadas”, lembrou o prefeito Celso Pozzobom.

Com os novos leitos do Cemil, a região dobra a capacidade de internamento em UTI. “Teremos um pouco mais de fôlego para oferecer tratamento adequado aos pacientes da pandemia. A região de Umuarama tem quase 300 mil habitantes e esse auxílio do Estado é fundamental para assegurar um bom atendimento”, agradeceu Pozzobom. Além disso, a cidade conta com 30 leitos de enfermaria que nesta segunda tinham índice de ocupação de 50%.

Ao lado dos secretários Beto Preto, Márcio Nunes, Guto Silva e da secretária municipal de Saúde, Cecília Cividini, o prefeito Celso Pozzobom também liderou uma visita ao Hospital Uopeccan, primeira referência regional para o atendimento de pacientes da Covid-19 pelo SUS.

O governo do Estado abriu 913 novos leitos de UTI para adultos na rede pública desde o início da pandemia e a previsão é alcançar até 1,1 mil UTIs nos próximos dias, o que faria o Estado dobrar a oferta de unidades avançadas no Sistema Único de Saúde (SUS). O número de novas unidades abertas já representa quase 70% das 1.315 UTIs adultas disponíveis no Paraná, no início da pandemia.

Desde março, o esforço de enfrentamento à Covid-19 permitiu ampliar a estrutura de atendimento em 50 hospitais de 31 municípios, nas quatro macrorregionais de Saúde do Estado. Nas duas últimas semanas houve incremento de 106 novas unidades de terapia intensiva para tratamento da infecção. Vinte foram ativados nesta segunda-feira (13) – dez no Hospital Cemil e mais dez no Hospital do Idoso, em Curitiba.

“Esses novos leitos dão mais estrutura para o atendimento avançado contra o coronavíus. Umuarama tem um corpo técnico muito eficiente e vai nos ajudar nessa batalha. Essa estruturação é fruto do trabalho do Estado junto com a prefeitura e os deputados”, afirmou Ratinho Junior. “Implementamos em pouco mais de 100 dias 913 leitos para adultos no Paraná, média de oito por dia. É praticamente o mesmo que o Estado construiu nos últimos 30 anos”.

Além dos leitos exclusivos para a Covid-19, foram entregues mais sete leitos de UTI Neonatal e três leitos de UTI pediátrica para o Hospital Cemil, que atualmente é mantido pela Associação Beneficente São Francisco de Assis.

Em paralelo, foram abertos 1.403 leitos de enfermaria em todas as regiões do Estado, 37 UTIs pediátricas e 70 enfermarias para crianças. Além disso, o governo entregou três hospitais regionais em Ivaiporã, Telêmaco Borba e Guarapuava. Também houve reforço de alas novas nos hospitais universitários de Londrina, Cascavel, Ponta Grossa e Maringá. Essa estrutura é parte de um investimento que já ultrapassou R$ 400 milhões no Paraná.

BAIXA INCIDÊNCIA

A regional de Saúde contabilizou 630 casos e oito óbitos em todos os 21 municípios desde março, mas as incidências de casos (227) e de mortes (2,9) por 100 mil habitantes ainda está abaixo da média paranaense. A macrorregião Noroeste ocupação de leitos perto de 60%. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto explicou que os novos leitos estão equipados com respiradores, ventiladores e todo o sistema de gases necessário para atendimento ao paciente.

Estiveram presentes na cerimônia, ainda, o presidente da Associação Beneficente São Francisco de Assis, mantenedora do Hospital Cemil, Guilherme Schmitt, e o superintendente da Associação Beneficente São Francisco de Assis, João Jorge Hellú.

“Em poucos meses abrimos praticamente a totalidade de leitos de UTI que o Estado disponibilizou para a população nos últimos 30 anos. Todos eles com insumos, equipes e recursos disponíveis. É um esforço muito grande para atender a população com dignidade”, afirmou o governador Ratinho Junior.

“A estratégia regionalizada permite atendimento contra a Covid-19 perto da casa das pessoas. É uma estrutura que exige investimentos robustos e profissionais capacitados. O governo do Estado não mediu esforços para aumentar a estrutura disponível para atender pacientes que desenvolvem quadros mais graves da doença”, completou o secretário da Saúde, Beto Preto.