Espaço de lazer na Praça do Japão, em Umuarama, está praticamente recuperado

A readequação da praça atende a um termo de ajustamento de conduta estabelecido entre o município e o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

Por Programa do Tatu

14 de janeiro de 2021, 08h35

A Prefeitura de Umuarama finalizou a maior parte das obras de readequação da Praça Juscelino Kubitschek – mais conhecida como Praça do Japão –, de acordo com a Secretaria Municipal de Obras, Planejamento Urbano, Projetos Técnicos e Habitação, responsável pelo serviço, sob o olhar atento do prefeito Celso Pozzobom.

A readequação da praça atende a um termo de ajustamento de conduta estabelecido entre o município e o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). A Prefeitura responde na Justiça ação proposta pelo Ministério Público (MP/PR) sobre a reforma realizada na gestão 2013/2016, com alegação de ilegalidades na obra, falta de conformidade com a legislação ambiental e de audiência pública e contrariedade à finalidade de espaço público.

A ação questionava inclusive a ausência de lei autorizando a transformação da praça em via de asfalto para automóveis, estudo de impacto e viabilidade urbanística e ambiental, descumprimento do plano diretor e supressão de vegetação e de espaço para o lazer. “Acordamos com a Justiça a remoção da maior parte do asfalto para o plantio de grama. Conseguimos preservar parte do pavimento para atividades de lazer, como skate, carrinho de rolimã e alongamentos”, informou o prefeito Celso Pozzobom.

Moradores das proximidades aprovaram o trabalho e voltaram a passear pela praça, inclusive com animais, aproveitando a grande área gramada. A readequação aumentou bastante a permeabilidade do solo. “Instalaremos cancelas para controlar o acesso de veículos. Serão permitidos apenas carros em exposições e encontros automotivos”, acrescentou o diretor de Obras, Renato Caobianco.

O secretário de Obras, Planejamento Urbano e Projetos Técnicos, Isamu Oshima, lembrou que a Prefeitura também substituiu o parquinho infantil por outro mais moderno e construiu um campinho de areia cercado com tela de alambrado para as crianças se divertirem e praticarem esportes. O prazo para cumprimento do TAC vai até fevereiro e o trabalho foi iniciado ainda em dezembro.

“Faltam pequenos detalhes para a conclusão. Implantamos melhoria na acessibilidade, com mais rampas para cadeirantes. A maior parte do serviço teve material e mão de obra própria da Prefeitura. Apenas o reposicionamento do meio-fio e plantio de grama foram terceirizados”, explicou o secretário Isamu. A reforma da praça custou R$ 472,9 mil aos cofres públicos, entre 2015 e 2016, com recursos próprios e do governo federal.