Apoio do município garante silagem para alimentação do gado no inverno

Dentro dessa iniciativa, o diretor de Agricultura e Pecuária do município, José Guilherme de Oliveira Júnior, e a chefe da Divisão de Produção Animal, Sharon Karla Luders Meza, visitaram uma das propriedades rurais onde o pecuarista está produzindo silagem de milho com o apoio da estrutura da secretaria.

Por Programa do Tatu

22 de fevereiro de 2021, 10h22

A Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Umuarama tem ajudado pequenos produtores rurais a desenvolver a produção visando o aumento da produtividade, a profissionalização da atividade e consequente melhora na renda e na qualidade de vida. Uma dessas ações é o programa Pró-Leite, que está sendo reformulado para ter mais alcance e resultados.

Dentro dessa iniciativa, o diretor de Agricultura e Pecuária do município, José Guilherme de Oliveira Júnior, e a chefe da Divisão de Produção Animal, Sharon Karla Luders Meza, visitaram uma das propriedades rurais onde o pecuarista está produzindo silagem de milho com o apoio da estrutura da secretaria.

“Oferecemos implementos agrícolas, como trator, vagões forrageiros e a máquina para triturar a forrageira, bem como o operador, além da orientação técnica para os produtores. O Claudinei Borges, dono deste sítio, é exemplo de alguém que soube aproveitar essa parceria e vem conseguindo bons resultados”, afirmou o José Guilherme.

O criador de gado de leite plantou quatro alqueires de milho para garantir alimentação ao rebanho nos meses de inverno, quando as pastagens não se desenvolvem o suficiente para nutrir os animais. “A silagem bem-feita, compactada e coberta, pode durar um ano ou mais. Com essa dedicação, não vai faltar comida para o rebanho e a produção de leite terá continuidade”, disse o diretor, explicando que as pastagens normalmente enfraquecem devido à falta de chuvas e às baixas temperaturas do inverno. Esse período dura entre três e quatro meses e, além da silagem, é recomendado complementar a alimentação com ração servida no cocho.

Para Claudinei Borges, o apoio da Prefeitura faz toda a diferença. Ele lembra que há três anos produzia menos de 40 litros de leite por dia com oito vacas. “Hoje, com todo o suporte que recebo do município, pude aumentar meu plantel para 18 vacas e a produção saltou para 350 litros/dia, com duas ordenhas. Já tirei mais de 400 litros/dia, no pico da produção. E com a aquisição de mais algumas vacas, quero chegar aos 500 litros/dia”, afirmou.

O produtor conta que graças ao Pró-Leite, recebeu insumos doados pelo município – como adubo e calcário –, leitura da análise do solo, curso de inseminação artificial, novilha de raça, botijão de nitrogênio e sêmen bovino de qualidade, resfriador para o leite e toda a assistência técnica. “Já tenho novilhas que são fruto de inseminação que eu mesmo realizei”, orgulha-se.

Para o prefeito Celso Pozzobom, são resultados como esse que motivam o município a investir mais nos programas de apoio ao homem do campo. “É um investimento garantido, pois além dos insumos oferecemos qualificação, orientação, cursos e assistência técnica. Quem quer trabalhar e se enquadrar nos nossos critérios, terá sempre esse apoio e, crescendo na atividade, contribuirá para o crescimento do município”, avaliou.